Bebê e Criança

Bronquiolite e seu crescimento de casos em 2023

Segundo o FIOCRUZ, houve um aumento expressivo de 45% das internações por Síndrome Respiratória Aguda em crianças, principalmente pela bronquiolite.

A bronquiolite é uma doença respiratória comum em crianças, principalmente em bebês menores de 2 anos de idade. É geralmente causada por uma infecção viral, sendo que 72% dos casos são devidos ao VSR (Vírus Sincicial Respiratório).

Quais são os sintomas da bronquiolite?

Os sintomas da bronquiolite podem variar de leves a graves, dependendo da gravidade da infecção. Os sintomas geralmente começam como um resfriado e progridem para problemas respiratórios mais severos. Eu listei alguns a seguir:

  1. Congestão nasal: O nariz do bebê pode ficar congestionado, com secreção nasal clara ou espessa.
  2. Tosse: Pode haver uma tosse persistente, que pode ser seca ou produtiva (com expectoração).
  3. Chiado no peito: É comum ouvir um som semelhante a um assobio ao respirar, conhecido como chiado no peito.
  4. Respiração rápida e superficial: O bebê pode apresentar respiração rápida e curta, com aumento da frequência respiratória.
  5. Dificuldade para respirar: Pode haver sinais de dificuldade respiratória, como retrações (afundamento da pele entre as costelas ou acima da clavícula durante a respiração), uso dos músculos do pescoço para respirar e batimento das asas do nariz.
  6. Irritabilidade: O bebê pode ficar irritado, inquieto e ter dificuldade para dormir.
  7. Falta de apetite: Devido aos problemas respiratórios e desconforto, o bebê pode perder o apetite e ter dificuldade para se alimentar adequadamente.
  8. Febre: Nem todas as crianças com bronquiolite apresentam febre, mas em alguns casos pode ocorrer um aumento da temperatura corporal.
bebe tossindo bronquiolite

Como tratar?

O tratamento da bronquiolite depende da gravidade dos sintomas e da condição de saúde da criança. Na maioria dos casos, o tratamento é focado em aliviar os sintomas e garantir que a criança esteja confortável durante a infecção. Separei algumas medidas comuns adotadas no tratamento da bronquiolite:

  1. Hidratação: Isso inclui garantir uma boa hidratação, seja por meio da amamentação frequente para bebês ou da ingestão adequada de líquidos para crianças mais velhas. É importante manter um ambiente úmido, usando um umidificador ou vaporizador, para ajudar a soltar as secreções e aliviar a congestão nasal.
  2. Lavagem nasal: Para bebês com congestão nasal significativa, pode ser recomendado o uso de solução salina nasal e aspiração suave do nariz com um aspirador nasal para remover o excesso de muco.
  3. Monitoramento dos sinais vitais: É comum que crianças com bronquiolite sejam monitoradas regularmente para verificar a frequência respiratória, a saturação de oxigênio no sangue e a temperatura corporal. Isso ajuda a avaliar a gravidade da doença e a resposta ao tratamento.
  4. Medicamentos: Em casos mais graves de bronquiolite, quando há dificuldade respiratória significativa, o médico pode prescrever broncodilatadores para ajudar a abrir as vias respiratórias.
  5. Internação: Em casos graves, quando a criança apresenta dificuldade respiratória severa ou desidratação, se ver necessário hospitalizar a criança para monitoramento mais intensivo, administração de oxigênio ou líquidos intravenosos.
virus broquiolite

Como se previnir da bronquiolite?

Para ajudar a prevenir a bronquiolite e reduzir a propagação de vírus respiratórios, incluindo o VSR, são recomendadas algumas medidas preventivas, como: boa higiene, lavar sempre as mãos, manter o ambiente limpo, evitar contato com pessoas doentes (especialmente se estiverem resfriadas ou gripadas), cubrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar, não levar o bebê em locais lotados (como shoppings e supermercados, por exemplo) e continuar o aleitamento materno.

O leite materno fornece anticorpos e nutrientes que ajudam a fortalecer o sistema imunológico do bebê. Amamentar exclusivamente até os 6 meses de idade e continuar a amamentação junto com a introdução alimentar pode ajudar a proteger contra infecções respiratórias.

Contudo, visitas para bebês menores de 6 meses devem ser bem pensadas, curtas, com boa higiene das mãos, e somente por pessoas sem sinais de resfriado ou rinite. O uso de máscaras é uma boa pedida. Todo cuidado é pouco!

bebe nebulizando para tratamento de bronquiolite

Bronquiolite tem vacina?

Para influenza, um dos vírus implicados, sim. Mas só pode ser administrada em bebês a partir dos 6 meses de idade. A vacina contra a gripe é recomendada anualmente, e é segura e eficaz na redução do risco de infecção, bem como na redução da gravidade dos sintomas em caso de infecção.

Já para o vírus sincicial respiratório (VSR) tem uma Imunoglobulina (anticorpo), que é administrado em crianças de maior risco, como prematuros extremos, prematuros com broncodisplasia pulmonar e cardiopatas cianóticos. A imunoglobulina intravenosa palivizumabe (Synagis) é um anticorpo monoclonal que visa neutralizar o VSR e reduzir a gravidade da doença. Todavia, o SUS fornece nos meses de maior risco, sendo feita 1 dose mensal por 5 meses.

Enfim, fica a atenção às medidas de proteção para reduzir a transmissão, a vigilância de sinais de alerta, a importância do aleitamento materno e DO CALENDÁRIO VACINAL MANTIDO EM DIA! Com toda a certeza essa medida está associada a menor risco de internação de crianças em todas as faixas etárias.

Bebe em tratamento broquiolite

Mariana Bastos Gomes Nolasco

37 anos, casada, residente de Itaperuna.

Possui Graduação em:
Estética (2008),
Nutrição (2013),
Atualmente cursando Medicina (término em 2024).

Pós-Graduação em:
Docência do Ensino Superior;
Nutrição Clínica Funcional e Fitoterapia;
Neurociêntista.

Membro da Associação Brasileira de Nutrição Materno Infantil (ABRANMI).

Formação complementar: Doula, Consultora de Sono Infantil, Educadora Parental Infantil, Consultora em Aleitamento Materno, Laser terapeuta, Costureira Industrial do Vestúario, Modelagem Feminina e Maquiagem Profissional.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *