Maternidade

5 dicas para um retorno de licença-maternidade tranquilo

A licença-maternidade termina e o coração da mãe fica em pedaços. São noites em claro, lágrimas caindo e sentimento de culpa. Será que coloco na creche? Peço alguém de confiança para olhar? Enfim… Se você está passando por isso, mamãe, confira este artigo com dicas para amenizar o seu retorno ao trabalho.

1- Fale a verdade (sempre)

Retorne aos poucos, mas seja sempre sincera com a criança. Se isto vale para um bebê de quatro meses, por exemplo? Sim, vale! Basta você começar a simular sua rotina de trabalho antes mesmo do retorno, até para você se acostumar. Um ida ao escritório com ausência de poucas horas fará o bebê perceber a mudança, mas não transmita insegurança.

2- Babá ou creche?

Esta é uma pergunta muito pessoal e vai de acordo com necessidade de cada mãe. Há quem não tenha outra alternativa a não ser deixar na creche. Já para outras mães, deixar com um parente ou alguém de confiança é a melhor saída. No entanto, caso for deixar com babá, faça uma investigação, até mesmo na delegacia. Na dúvida, deixe a babá na casa de alguém de confiança, como sua mãe. Busque também referências em qualquer um das escolhas.

3- Não se esconda

Independentemente com quem o seu bebê irá ficar, mostre que você está ali, mas que vai precisar ir trabalhar. Dê tchau, mesmo que com coração partido, e diga que a “mamãe vai trabalhar“. No início é doloroso, mas depois vocês irão se acostumar.

4- Adapte as historinhas noturnas

Que tal, antes de dormir, contar uma historinha de uma mamãe que foi para o trabalho? É uma ideia para a criança começar a entender. Para isto, use figuras para ilustrar. Ou seja, abuse da sua criatividade. Até porque, todos irão se divertir neste momento.

Publicidade
Continua após a publicidade..

5- Planeje a alimentação

Não deixe de pensar e planejar a alimentação do bebê. Introduza um cardápio semanal, no caso de ele ficar com uma babá ou alguém de confiança. Mas, se sua opção for pela creche, converse com a nutricionista do local para entender como é este processo. Conte a ela o que seu filho costuma comer e, mais importante, sem ele possui alguma restrição alimentar.

Gostou das dicas?

Importante deixar bem claro que nem toda criança é igual a outra e pode ser que estas dicas funcionem ou não. A verdade é que os pais conhecem os filhos melhor que ninguém. Sendo assim, eles conseguirão adaptar esta nova fase da melhor maneira.

Mariana Bastos Gomes Nolasco

37 anos, casada, residente de Itaperuna.

Possui Graduação em:
Estética (2008),
Nutrição (2013),
Atualmente cursando Medicina (término em 2024).

Pós-Graduação em:
Docência do Ensino Superior;
Nutrição Clínica Funcional e Fitoterapia;
Neurociêntista.

Membro da Associação Brasileira de Nutrição Materno Infantil (ABRANMI).

Formação complementar: Doula, Consultora de Sono Infantil, Educadora Parental Infantil, Consultora em Aleitamento Materno, Laser terapeuta, Costureira Industrial do Vestúario, Modelagem Feminina e Maquiagem Profissional.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *