Bebê e Criança

5 perguntas para você entender a síndrome mão-pé-boca em 2023

A síndrome mão-pé-boca é contagiosa e tem como alguns sintomas a febre e manchas pelo corpo

Manchas vermelhas na pele, febre e dor de garganta são alguns dos principais sintomas da síndrome mão-pé-boca. Embora adultos possam se contaminar, é mais comum crianças terem o diagnóstico da doença. Para entender melhor, elaboramos este artigo com 5 perguntas…

1- Afinal, o que é síndrome mão-pé-boca?

Ela é uma enfermidade contagiosa causada pelo vírus Coxsackie, da família do enterovírus, que habita no sistema digestivo. Por isso, o surgimento de aftas na boca. E como o próprio nome já explica, as lesões geralmente aparecem nas mãos, pés e boca.

2- Como ela é transmitida?

A síndrome mão-pé-boca é transmitida por vias orais: saliva, secreções nasais ou da garganta, de pessoa para pessoa. Ao espirrar é preciso tapar o nariz. No caso das fezes da criança, a mãe precisa ter cuidado ao limpá-la.

3- Tem cura?

Ainda não é possível curar a doença. Isso porque, não existe vacina para combater a “mão-pé-boca”. Ao perceber os sintomas, entretanto, o paciente deverá procurar o pediatra ou clínico-geral, que fará o tratamento sintomático com anti-inflamatórios e antitérmicos.

4- Como se prevenir?

É preciso evitar o consumo de alimentos preparados por alguém que esteja contaminado. Ao trocar as fezes da criança, é preciso usar luvas. Adultos contaminados não devem ir ao trabalho. Mas, acima de tudo, é preciso manter a higiene.

  • Lave as mãos frequentemente: Ensine as crianças a lavar as mãos com água e sabão várias vezes ao dia, especialmente antes de comer e depois de usar o banheiro. Os pais também devem lavar as mãos com frequência, especialmente depois de trocar fraldas ou ajudar a limpar o nariz ou a boca das crianças.
  • Limpe superfícies: Limpe e desinfete as superfícies frequentemente tocadas, como maçanetas de portas, brinquedos e mesas. Isso ajudará a impedir a propagação do vírus.
  • Evite contato próximo com pessoas doentes: Evite que as crianças entrem em contato com pessoas que estejam doentes com a doença mão-pé-boca ou qualquer outra doença viral.
  • Não compartilhe utensílios: Ensine as crianças a não compartilhar utensílios, copos e pratos com outras pessoas.
  • Mantenha as crianças em casa se estiverem doentes: Se a criança apresentar sintomas de doença, mantenha-a em casa até que ela se recupere completamente.
  • Proteja as feridas: Se a criança tiver feridas na boca, ajude-a a protegê-las para evitar que o vírus se espalhe.

5- Recomendações, caso a criança pegue

Ao perceber, procure o pediatra imediatamente. Lá, ele dará as devidas orientações, mas é preciso que a criança não vá para a escola. O repouso e a limpeza do ambiente deve ser feito diariamente.

Publicidade
Continua após a publicidade..

Caso sua criança já tenha tido esta doença, comenta com a gente como foi lidar.

Assim, iremos trocar experiências entre mães.

Você pode comentar este post aqui ou em nossas redes sociais.

Mariana Bastos Gomes Nolasco

37 anos, casada, residente de Itaperuna.

Possui Graduação em:
Estética (2008),
Nutrição (2013),
Atualmente cursando Medicina (término em 2024).

Pós-Graduação em:
Docência do Ensino Superior;
Nutrição Clínica Funcional e Fitoterapia;
Neurociêntista.

Membro da Associação Brasileira de Nutrição Materno Infantil (ABRANMI).

Formação complementar: Doula, Consultora de Sono Infantil, Educadora Parental Infantil, Consultora em Aleitamento Materno, Laser terapeuta, Costureira Industrial do Vestúario, Modelagem Feminina e Maquiagem Profissional.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *